A queda nos preços em meados de março levou a um breve êxodo de mineradores que operavam com hardware mais antigo, a taxa de hash do Bitcoin (BTC) registrou um novo recorde histórico (ATH) de mais de 142 exahashes por segundo (EX / s) em 3 de março.

O novo recorde supera o ATH anterior de 123 EX/s em 8 de março

A taxa de hash do BTC registra novo recorde a 8 dias do halving

O poder de hash do BTC caiu 40% em duas semanas depois de definir seu ATH anterior em 8 de março, passando de 123 EX / s para apenas 75 EX / s.

No entanto, com a reorganização dos preços, nas seis semanas seguintes houve um aumento de 90% na taxa de hash – com analistas especulando que uma combinação de preços crescentes e a iminente saída do mercado de muitos ASICs mais antigos em meio ao halving contribuíram para que o poder de hash quase dobrasse em menos de dois meses.

Halving é um “reequilíbrio saudável”

Em entrevista ao Cointelegraph, Johnson Xu, chefe de pesquisa e análise do TokenInsight, previu que “uma grande porcentagem de mineradoras de gerações mais antigas, como a S9s, será desativada” logo após o halving.

Apesar das interrupções que o evento tem no setor de mineração, Johnson descreve o evento como “um reequilíbrio saudável para forçar a rede a se reajustar em uma rede eficiente em que os mineradores possam ter margem suficiente”.

“O halving do Bitcoin resultará em um caos na rede no curto prazo; no entanto, quando o ajuste de dificuldade entrar em ação e se auto-ajustar a um estado de equilíbrio, veremos a rede de Bitcoin rapidamente em uma posição estável”, acrescentou Johnson.

Leia mais:

Artigo

Deixe uma resposta