Startup de blockchain lança aplicativo para incentivar as pessoas a ficar em casa em meio ao COVID-19

Empresas focadas em cripto e blockchain em todo o mundo vêm se esforçando para apoiar pessoas em meio à pandemia de coronavírus, com algumas delas doando fundos para organizações sem fins lucrativos e fornecendo suprimentos para hospitais.

A startup israelense de blockchain Orbs teve uma idéia para incentivar as pessoas a se auto-colocarem em quarentena usando um aplicativo recém-lançado.

O aplicativo, apelidado de “Stay at Home Challenge”, foi projetado para garantir que o usuário não saia de um raio próximo a sua casa depois de inserir sua localização no aplicativo. O aplicativo rastreia o tempo de auto-quarentena dos usuários e os notifica quando eles abandonam a área residencial designada, de acordo com um anúncio em 21 de abril.

Uma maneira de rastrear os movimentos das pessoas

O aplicativo gamifica o conceito de auto-quarentena, permitindo que os usuários compartilhem sua progressão com amigos e familiares, incentivando-os a ficar em casa também.

Embora o aplicativo rastreie os movimentos das pessoas, a Orbs alega que não coleta nenhum dado pessoal, pois os usuários não adicionam nome, email ou qualquer outra informação pessoal no aplicativo. Atualmente, o aplicativo está disponível no Google Play e em breve estará disponível para usuários do iOS. A Orbs disse ao Cointelegraph:

“Continuaremos a pensar em maneiras pelas quais podemos ajudar Israel e todo o mundo para nos ajudar nesses tempos difíceis. Discutimos idéias regularmente em reuniões e bate-papos da empresa”.

Rastrear pessoas é um novo normal

O Stay at Home Challenge não é o primeiro aplicativo que rastreia a atividade dos usuários sob a égide da quarentena relacionada ao coronavírus. Uma equipe de acadêmicos da Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul, desenvolveu um aplicativo baseado em blockchain voltado para permitir que os usuários verifiquem seu próprio status COVID-19. O aplicativo pretende melhorar o rastreamento de contatos de pacientes infectados.

No final de março, as autoridades russas lançaram seu próprio aplicativo de rastreamento para pacientes com resultado positivo para o COVID-19. O aplicativo solicita acesso às chamadas, localização e câmera dos usuários, além de informações de rede.

A China também lançou um aplicativo em fevereiro que permite aos usuários verificar se entraram em contato com uma pessoa potencialmente infectada pelo COVID-19. O aplicativo compartilha os dados de localização dos usuários em um servidor centralizado sempre que seus códigos de barras são digitalizados em um ponto de verificação em hubs de transporte público ou em outras áreas controladas por pontos de acesso.

Leia mais:

Artigo

Leave a Comment

  • bitcoinBitcoin (BTC) $ 11,719.65
  • ethereumEthereum (ETH) $ 378.37
  • tetherTether (USDT) $ 0.999637
  • rippleXRP (XRP) $ 0.247466
  • bitcoin-cashBitcoin Cash (BCH) $ 247.88
  • binancecoinBinance Coin (BNB) $ 29.85
  • chainlinkChainlink (LINK) $ 10.75
  • polkadotPolkadot (DOT) $ 3.99
  • cardanoCardano (ADA) $ 0.107465
  • litecoinLitecoin (LTC) $ 47.96