Manifestantes que se autodenominam Bloco de Resistência e Rebelião Popular protestaram contra o governo de El Salvador que aprovou a lei que torna o Bitcoin uma com curso legal no país.

 

Um tweet do meio de comunicação local El Mundo mostra Salvadorenhos carregando faixas dizendo “não ao Bitcoin” nas ruas de San Salvador, exigindo a revogação da lei de Bitcoin do país. As deputadas Anabel Belloso e Dina Argueta dirigiram-se aos manifestantes depois de se encontrarem com o grupo separado por uma barreira de arame farpado.

Em uma carta durante o protesto, o grupo de Resistência Popular e Bloco de Rebelião alegou que o presidente Nayib Bukele aprovou a lei que torna a criptomoeda com curso legal no país, sem as devidas consultas ao povo. Também citou a volatilidade do Bitcoin (BTC), comparando o investimento na criptomoeda a jogar na loteria: “apostar na loteria é um ato voluntário, enquanto o Bitcoin é obrigatório por lei”.

No entanto, a principal reclamação do grupo em torno da estrutura legal do Bitcoin parecia estar centrada em uma disparidade percebida no uso da criptomoeda pelo governo em comparação com os cidadãos de classe média em El Salvador. Os manifestantes disseram que o Bitcoin “serve apenas a alguns grandes empresários, especialmente aqueles ligados ao governo, para lavar dinheiro mal recebido”.

“Os empresários que colocam seu capital em Bitcoin não pagarão impostos sobre seus ganhos”, dizia a carta. “Além disso, para aplicar o Bitcoin, o governo gastará milhões de dólares em impostos pagos pelo povo.”

Eles acrescentaram:

“O Bitcoin facilitaria a corrupção pública e as operações de traficantes de drogas, armas e humanos, extorsionários e sonegadores de impostos. Também causaria caos monetário. Atingiria os salários, pensões e poupanças das pessoas, arruinaria muitas MPMEs, afetaria famílias de baixa renda e a classe média.”

Embora aprovada pelo governo de El Salvador e sancionada por Bukele em junho, a lei que reconhece o Bitcoin como moeda legal no país não entrará em vigor até 7 de setembro. O protesto do Bloco de Resistência Popular e Rebelião foi dirigido a funcionários do governo para exigir que a lei seja revogada. Além disso, o Banco Mundial também se recusou a ajudar a transição de El Salvador para uma estrutura amigável com Bitcoin, devido às suas “deficiências ambientais e de transparência”.

During a scheduled visit by the U.S. State Department earlier this month, Under Secretary of State for Political Affairs Victoria Nuland suggested El Salvador ensure Bitcoin is well regulated and transparent, but did not explicitly say anything against the country’s move to a more digital economy. Some proponents of the law including Bukele have suggested Bitcoin could help facilitate remittance payments from El Salvador citizens living abroad and lessen the country’s reliance on the U.S. dollar.

 

Durante uma visita agendada pelo Departamento de Estado dos EUA no início deste mês, a subsecretária de Estado para Assuntos Políticos Victoria Nuland sugeriu que El Salvador garantisse que o Bitcoin fosse bem regulamentado e transparente, mas não disse nada explicitamente contra a mudança do país para uma economia mais digital. Alguns proponentes da lei, incluindo Bukele, sugeriram que o Bitcoin poderia ajudar a facilitar o pagamento de remessas de cidadãos de El Salvador que vivem no exterior e diminuir a dependência do país do dólar americano.

Desde 2019, não aparece uma janela de compra tão clara. Negocie mais de 400 pares de criptomoedas com 0% de taxa até 8 de Julho na OKEx.

Compre o mergulho agora na OKEx!

Artigo