A QR Capital lançou no mês passado o primeiro ETF de Bitcoin do mundo na bolsa de valores do Brasil e prepara-se para ampliar sua atuação no mercado de criptomoedas nos próximos meses.

Fernando Carvalho, CEO e fundador da QR Capital, falou ao Estadão sobre o criptomercado e as perspectivas para o mercado brasileiro.

O primeiro ETF de criptomoedas, lançado em 23 de junho, já alcançou patrimônio líquido de R$ 118 milhões, com perspectivas de mais crescimento.

O ETF segue o índice CME CF Bitcoin Reference Date, da bolsa Chicago Mercantile Exchange, referência em derivativos no mundo. Carvalho explicou o caminho para o lançamento do primeiro ETF 100% do mundo:

“A ideia surgiu em agosto do ano passado, quando entendemos que havia uma situação regulatória favorável para os criptoativos. (…) Ano passado foi um período de muito crescimento dos fundos multimercado no Brasil, que estão sendo distribuídos por diversas plataformas de investimentos. Entendemos que o tamanho do mercado e a evolução natural seria migrar e evoluir para produtos listados. Neste momento, começamos a mapear os principais provedores de índice de criptoativos do mundo e acabamos optando pela CF Benchmarks, que é o provedor do QBTC11. (…)  Inclusive, são eles que fazem o índice de referência que a bolsa de Chicago usa para referenciar as liquidações do mercado futuro de Bitcoin.”

Para ele, o pioneirismo da iniciativa foi o maior desafio para o lançamento do ETF de Bitcoin, tendo que negociar com os reguladores e explicar a importância e a segurança do criptoativo:

“O principal desafio, talvez tenha sido mostrar para toda a base de reguladores e para a própria B3, por meio da diretoria de listagem, que já existe no mercado cripto uma infraestrutura suficientemente segura. É um mercado que está evoluindo muito rápido. A qualidade dos custodiantes, dos administradores e das corretoras vem evoluindo rapidamente. E conseguimos, por meio da seleção dos principais parceiros, mostrar que a infraestrutura já era adequada, dando segurança tanto para a bolsa quanto para o regulador.”

Fernando Carvalho classificou a escolha do Bitcoin pela principal criptomoeda estar em um “grau de maturidade diferenciado” e que já provou sua liquidez e segurança. O gestor também disse que acredita que o mercado de criptomoedas ainda precisa amadurecer para a QR Capital apostar em um índice de criptomoedas. 

“Temos observado que os índices de criptoativos globais carregam ativos que nem sempre têm os melhores fundamentos e qualidades”, completa ele, que cita o Dogecoin:

“O melhor exemplo que eu uso para ilustrar isso é a Dogecoin. Esse é um ativo que não tem nenhum tipo de fundamento, mas chegou a ser um dos 10 maiores criptoativos do mercado e quase chegou a integrar índices relevantes de ativos digitais.”

Sobre o QBTC11, negociado na Bolsa de Valores do Brasil, Carvalho cita as vantagens do investimento sobre outras opções de investimento, como nos casos da exchanges do criptomercado:

“Primeiro porque é a forma mais segura, barata e prática de comprar Bitcoin no Brasil neste momento. O fundo é um produto extremamente barato com taxa de administração de 0,75% ao ano e que utiliza custódia institucional. Isso significa que as chaves privadas ficam guardadas por custodiantes que utilizam as melhores tecnologias de guarda dos ativos. Além disso, é um fundo listado e tem alta liquidez. No final, o investidor que quer realizar sua posição no mercado de bolsa consegue fazer isso cinco dias por semana de forma instantânea.”

Sobre os planos para o futuro da QR Capital, Carvalho diz que a empresa pretende lançar neste ano novos fundos e entrar no mercado de tokenização de ativos em breve:

“A QR Capital é uma holding e seu principal negócio é a gestora QR Asset Management. Temos um pipeline de lançamento muito robusto para esse ano. Vamos lançar novos produtos, novos fundos e comunicar tudo isso oportunamente. Também temos investimentos em negócios de tecnologia e outros projetos em fase de aprovação. A QR Capital tem a Rispar, uma plataforma de empréstimo com garantia em criptoativos. Além disso, temos participação na BBPR, uma fintech que está em fase pré-operacional para fazer a tokenização de recebíveis judiciais, o, e também outros projetos em fase de aprovação.”

LEIA MAIS

Desde 2019, não aparece uma janela de compra tão clara. Negocie mais de 400 pares de criptomoedas com 0% de taxa até 8 de Julho na OKEx.

Compre o mergulho agora na OKEx!

Artigo

Leave a Reply