A empresa que oferecia investimentos em Bitcoin G44 Brasil foi denunciada em Santos, no litoral de São Paulo, pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e operação de instituição financeira sem autorização legal.

Segundo o CriptoFácil, a notícia crime contra a G44 cita todos seus 8 sócios e 16 empresas ligadas à suposta organização criminosas. Aos sócios da empresa são imputados 11 crimes. Diz a matéria:

“A lista de todos os crimes supostamente cometidos pelos sócios da G44 agrupa as seguintes práticas: gerir fraudulentamente e de forma temerária instituição financeira; desvio de valores de instituição financeira; comercialização de valores mobiliários; operação de instituição financeira sem autorização legal; evasão de divisas; organização criminosa; lavagem de dinheiro; crimes contra a economia popular; estelionato; apropriação indébita; e crimes contra a ordem econômica.”

A G44 teria captado mais de 10.000 investidores entre 2017 e 2019 e foi proibida de atuar pela Comissão de Valores Mobiliários até anunciar seu fim, em dezembro de 2019.

Apesar de dizer que iria devolver do dinheiro aos investidores em até 90 dias, a empresa não cumpriu o prometido.

Em abril de 2020, a G44 Brasil teve uma série de bens da empresa e de seus sócios – entre imóveis, carros, contas bancárias e criptomoedas – bloqueados pela Justiça por não pagar os investidores.

CONTINUE LENDO

Artigo

Deixe uma resposta