O sentimento do mercado de criptomoedas é frequentemente influenciado por vários fatores, como previsões de especialistas ou eventos políticos. No entanto, se analisando em um período de tempo mais amplo, verifica-se que os preços da maioria das criptomoedas – especialmente do Ether (ETH) – podem depender principalmente da avaliação do Bitcoin (BTC).

O conceito de correlação no mercado de ações se refere ao fenômeno quando os valores de dois ativos se movem em uma direção semelhante. No entanto, quando se trata do mercado de criptomoedas, a correlação pode se aplicar a todos os ativos de uma vez, visto que a maioria faz par com o Bitcoin, ou está incidentalmente ligado a sua performance, como é o caso dos derivativos sintéticos.

Ambos os ativos ainda estão no meio de uma retirada prolongada. Nada mudou muito desde o mês passado. Mas se essa correção está nos ensinando alguma coisa, é que o Ethereum não está desacoplado do Bitcoin. 

fonte: Macroaxis

Mesmo o Bitcoin alcançando a marca histórica dos US$ 64 mil enquanto o ETH ainda estava subindo. Naquela época, a correlação entre os dois era decrescente, mas ainda alta (acima de 50%).

Então o BTC começou sua grande correção e, claro, o ETH o seguiu. A correlação voltou para algo em torno de 90%.

Agora que o BTC parou de cair e temos apenas alguma ação de negociação lateral, a correlação permanece muito alta (acima de 80%).

fonte: Coinmetrics

O que poderia acontecer no curto prazo então? Claro que ninguém sabe, mas o que se pode fazer é comparar este ciclo com o anterior para ver se notamos algo de interessante.

420 dias após o halving do Bitcoin, é bom lembrar que tanto o BTC quanto o ETH superaram as trajetórias de crescimento do ciclo anterior por um tempo. Às vezes, eles o faziam significativamente. Agora, após a grande correção, ambos caíram abaixo da trajetória de alta do mercado de 2017.

fonte: Coinmetrics

Claramente, não temos retornos estritamente decrescentes, já que por mais de um ano este ciclo superou o anterior.

Ao mesmo tempo, o pico deste ciclo está, até agora, muito abaixo de 2017 para o BTC e para o ETH. O ETH tem uma capitalização de mercado muito menor do que o Bitcoin, essa é uma das razões pelas quais pode-se apostar que crescerá mais rápido.

Existe também o efeito psicológico de que 1 ETH é “mais barato” do que 1 BTC. Assim, as pessoas que pensam nesses termos podem decidir investir algum dinheiro no primeiro em vez do segundo.

Finalmente, há um bom potencial de disrupção em torno da mudança do protocolo do Ethereum para prova de participação (POS). Essa mudança de paradigma funcional, pode tornar o Ether mais escasso, visto que a mineração deixará de ser uma atividade intensiva e econômica para a rede do Ether. Essa também é outra razão pela qual pode-se ver mais fluxo de dinheiro para o ETH em vez do BTC.

Assumindo um horizonte de negociação de 90 dias, o Bitcoin deverá apresentar desempenho inferior ao Ethereum, como prevê a consultoria da Macroaxis. Mas o Bitcoin parece ser menos arriscado e, ao comparar sua volatilidade histórica, o Bitcoin é 1,5 vezes menos arriscado que o Ether. A título de comparação, o Bitcoin negocia cerca de 0,13% de seus retornos potenciais por unidade de risco. O Ethereum está gerando atualmente cerca de 0,05% de retornos por unidade de risco em um horizonte de tempo semelhante. 

Logo, um investidor que investisse R$ 207.902 no Ether em abril de 2021 e o vendesse hoje, ganharia um total de R$ 14.816 em lucro sobre o capital inicial com a participação no Ether ou geraria 7,13% de retorno sobre o investimento em 90 dias. Não há nenhum ativo no mundo que entrega tamanha valorização em tão pouco tempo.

Mas, a menos que o ETH possa se descorrelacionar do BTC, a gravidade provavelmente fará o par ETH/BTC voltar à média no próximo mercado de baixa.

LEIA MAIS:

Desde 2019, não aparece uma janela de compra tão clara. Negocie mais de 400 pares de criptomoedas com 0% de taxa até 8 de Julho na OKEx.

Compre o mergulho agora na OKEx!

Artigo

Leave a Reply