Se você busca compreender os principais termos e ideias que tornam as finanças descentralizadas (DeFi) possíveis, você está no lugar certo. Neste artigo, vamos trazer um panorama sobre finanças descentralizadas.

Finanças descentralizadas ou DeFi é o termo usado para aplicativos que usam a tecnologia “blockchain” para atividades como economizar, emprestar, enviar dinheiro, negociar, investir e muito mais.

A capitalização de mercado de DeFi hoje é de USD$ 71,499,492,285 com um volume total de negociação de USD$ 5,762,287,166 nas últimas 24 horas.

Chart, line chartDescription automatically generated

A maior parte da atividade DeFi ocorre no Blockchain Ethereum.  Mas outras redes blockchain já começam a ocupar espaço no mercado como Binance Smart Chain, THORChain (RUNE), Solana (SOL) e BitFi (Bitcoin). 

 Soluções oferecidas por DeFi

DeFi fornece soluções e novos recursos para as mesmas necessidades econômicas atemporais: Pague, Economize, Negocie, Investa.

Com o surgimento dos Blockchains 2.0, que levaram os contratos inteligentes a outro nível, qualquer atividade financeira pode ser automatizada.

Pense no aplicativo DeFi baseado em blockchain como uma máquina de vendas automática que distribui transações financeiras. Quando uma moeda (token) é inserida, ocorre uma atividade financeira.

O crescimento do mercado DeFi no último ano

Chart, line chartDescription automatically generated

Desde maio de 2020, o TVL em plataformas como Maker, Compound, Uniswap e Aave cresceu de menos de US $ 1 bilhão para US $ 88 bilhões em seu pico. Embora parte desse crescimento seja atribuído ao aumento no valor dos ativos subjacentes, pelo menos do WBTC (bitcoin tokenizado) e ETH, os números são claros. 

Valores recordes têm sido despejados em protocolos DeFi por mais de um ano, enquanto os investidores buscam os retornos generosos proporcionados pelos empréstimos, negociação descentralizada e protocolos sintéticos. Este crescimento impressionante não veio à toa. E para entender o por que muito provavelmente DeFi seguirá batendo recordes, precisamos dar uma olhada em como funcionam os Apps DeFi e quais são seus benefícios.

Como funcionam os aplicativos DeFi

DeFi funciona através do desenvolvimento de dApps (aplicativos descentralizados) em uma rede blockchain e usando contratos inteligentes para automação. Usando as duas facetas, os aplicativos DeFi podem facilmente acomodar vários serviços financeiros em uma rede específica. Atualmente, existem muitos exemplos ​​de dApps adaptados para empréstimos automatizados, conhecidos como empréstimos criptografados. Muitos aplicativos relacionados ao DeFi também incluem a criação de stablecoins, opções de investimento, troca de ativos e outros disponíveis atualmente. 

Mais especificamente para tomar e pedir empréstimo, os protocolos abertos de empréstimos no ecossistema DeFi servem como o aspecto exclusivo de suporte aos aplicativos de empréstimos e empréstimos. As vantagens explícitas do aparato aberto e descentralizado para tomar e pedir empréstimo podem tornar os sistemas convencionais de crédito obsoletos. Os usuários podem obter benefícios de liquidação instantânea de transações, potencial padronização e isenção de verificações de crédito. Daí, a garantia de blockchains públicos e verificação criptográfica reduz as camadas de gerenciamento de risco exigida nos serviços de empréstimo tradicionais.

Outro exemplo prático de como funcionam os aplicativos DeFi que podemos mencionar, se dá nos marketplaces descentralizados, que oferecem um espaço considerável para inovação. Exchanges descentralizadas ou DEXs podem possibilitar aos usuários a negociação de ativos digitais sem a necessidade de custódia por um validador tradicional de confiança (leia-se, sem a custódia de um intermediário).

Toda a atividade de negociação acontece diretamente entre as carteiras dos usuários por meio de contratos inteligentes. Outro exemplo de aplicação de DeFi em marketplaces descentralizados refere-se à criação de plataformas de emissão de security tokens. Você pode adquirir conhecimento mais aprofundado sobre DeFi, Stablecoins e dApps, aqui.

Agora que vimos como funcionam aos aplicativos DeFi, vamos entender mais sobre seus benefícios.

Maior acessibilidade aos serviços financeiros 

O objetivo principal do DeFi concentra-se em resolver os problemas evidentes nas finanças tradicionais. O financiamento tradicional depende de intermediários, além de uma estrutura de gerenciamento de risco que reduzia a exposição ao risco, mas também adiciona outras camadas de intermediação aos negócios, e significa mais tempo e capital bloqueado.

Ora, como os aplicativos DeFi se utilizam da tecnologia blockchain, é possível a interação direta e em tempo real com nossos dados, a realização de qualquer tipo de transação de valor e a programação de qualquer tipo de contrato inteligente para a realização de atividades financeiras.

Assim, os intermediários e toda a estrutura de gerenciamento de risco do mercado tradicional são substituídos por códigos de software, que são programados no blockchain para a resolução de qualquer disputa potencial. Consequentemente, os usuários têm a capacidade de manter um controle mais amplo sobre seus fundos. Isso pode ajudar a reduzir os custos relacionados ao uso de produtos de serviços financeiros e garantir um sistema financeiro com menos fricção e atrito.

A implantação do DeFi via blockchain elimina qualquer ponto central de falha, e os dados podem ser facilmente distribuídos por vários nodes. Assim, cada node possui cópias das transações realizadas na rede, dificultando censura e uma possível paralisação do serviço. O benefício mais significativo do DeFi aponta para a melhoria da acessibilidade dos serviços financeiros para um público mais amplo.

Mas você deve estar curioso sobre como se expor ao crescente mercado financeiro descentralizado, se há centenas de diferentes protocolos DeFi disponíveis hoje? 

Índices DeFi

Dados os riscos relacionados aos contratos inteligentes associados a projetos DeFi, é mais que aconselhável diversificar sua exposição ao DeFi. E para ter uma visão dos protocolos DeFi existentes, muitos investidores usam índices para decidir qual a melhor exposição ao mercado financeiro descentralizado.

Os índices DeFi, como Defi Pulse Index (DPI) da Index Coop, criados em uma colaboração entre Set Protocol e DeFi Pulse, são projetados para atender especificamente a essas necessidades como uma das formas mais básicas de produtos estruturados DeFi. O DPI é um índice amplo de protocolos DeFi ponderados por capitalização de mercado, que permite aos usuários comprar e negociar um único token para ter exposição a alguns dos principais protocolos DeFi.

Como os projetos com capitalização de mercado maiores têm maior peso no índice, o DPI pode ser visto como um reflexo mais amplo do mercado como um todo, com exposição reduzida a projetos de capitalização de mercado mais baixa. A divisão do token do índice é uma representação bastante precisa do desempenho de cada protocolo individual no mercado ao longo do tempo.

Abaixo, podemos ver claramente o desempenho superior do Uniswap e Aave em comparação com outros protocolos no índice nos últimos meses. Enquanto isso, a Yearn Finance ficou para trás em relação a alguns de seus colegas membros do DPI. Atualmente, o DPI é composto principalmente de Uniswap, Aave e Synthetix, com esses projetos de grande porte consistindo em cerca de 61% da ponderação do DPI.

A screenshot of a computerDescription automatically generated with low confidence

Num comparativo com o mercado tradicional, pode-se dizer que o DPI representa uma das imitações mais próximas do SPDR S&P 500 Trust ETF (SPY) para as bolsas tradicionais, aplicado ao mercado cripto DeFi.

Opções de gerenciamento ativo em DeFi

Enquanto os índices DeFi estão começando a oferecer mais recursos para investidores em criptografia que procuram principalmente comprar e manter ativos de primeira linha, outros podem buscar produtos e serviços que se assemelham mais a uma estratégia de negociação automatizada. Uma opção é usar TokenSets, que permite aos usuários comprar e negociar “Conjuntos” como estratégias de investimento único.

Outra opção para gerenciamento ativo de portfólios é o dHEDGE, construído sobre o protocolo Synthetix. Os usuários podem investir sUSD em vários fundos gerenciados ativamente entre ativos sintéticos, como sBTC, sETH, dentre outros. Semelhante a um fundo de hedge tradicional, os gestores podem personalizar sua estrutura de taxas, optando por cobrar taxas na entrada, saída, desempenho e / ou gestão. O dHEDGE exibe uma tabela de classificação dos fundos com base na porcentagem total de retorno e ativos sob gestão, bem como uma pontuação de risco, que facilita as decisões do usuário sobre os fundos nos quais deseja investir.

Pois bem, além do grande mercado de gerenciamento automatizado de ações, há uma demanda crescente de gerenciamento de rendimento ajustado ao risco no DeFi. É o que veremos a seguir.

A customização do risco no rendimento 

O modelo de formador de mercado automatizado popularizado nos últimos anos permitiu a capacidade de quase qualquer pessoa fornecer liquidez, semelhante aos formadores de mercado nos mercados tradicionais. 

No entanto, os provedores de liquidez muitas vezes enfrentam riscos únicos que podem ser difíceis de entender ou quantificar, mesmo para participantes de mercado experientes. Por exemplo, provedores de liquidez enfrentam constantemente o risco de Impermanent Loss (IL) em AMMs, o que pode limitar a posição de alta sem limitar suficientemente o lado de baixo. Em muitos casos, os investidores podem estar melhor mantendo posições entre dois ativos do que fornecendo liquidez entre pares.

Além dessa questão fundamental, os provedores de liquidez também enfrentam o desafio de tentar determinar os riscos de contratos inteligentes juntamente com riscos cada vez mais complexos e desconhecidos associados aos novos protocolos DeFi. Portanto, há uma necessidade de oportunidades para obter rendimento com parâmetros de risco bem definidos para o crescimento contínuo do DeFi.

Bem por isso, produtos estruturados para provedores de liquidez desempenham um papel importante no incentivo à adoção do ecossistema financeiro descentralizado. Um protocolo que visa fornecer exposição dinâmica aos riscos de rendimento é o Saffron Finance. Ele possibilita aos usuários selecionarem entre perfis de risco e retorno customizados, agrupados por diferentes “tranches”, um termo que pode ser familiar para investidores em mercados tradicionais.

DeFi para Bitcoin?

BitFi, Bitcoin DeFi, DeFi para Bitcoin, ou seja lá como você prefira chamá-lo, saltou para o centro das atenções quando o Protocolo Injective anunciou que será integrado ao “Stacks” para dar aos usuários acesso a novos derivados baseados em Bitcoin. 

Apelidado de ‘DeFi Robinhood’ pela TechCrunch, o Injective é fruto de uma capitação de US$ 10 milhões de dólares de empresas como Pantera Capital, Mark Cuban, BlockTower e também é patrocinado pela Binance.

Os derivativos criados no Injective, como expiry futures, synthetics e perpetuals, são totalmente descentralizados e acessíveis a todos. 

Ao integrar o Stacks, o Protocolo Injective permite aos usuários criarem “perpetual contracts” and “expiry futures” e mercados futuros de vencimento para derivativos exclusivos do Bitcoin que, na verdade, estão vinculados à própria rede Bitcoin. 

Por meio do ecossistema Injective, os traders poderão participar livremente em novas formas de criação de mercado, como contratos futuros e perpétuos em redes distintas.

Além da Stacks, a equipe começou a trabalhar em integrações com outros blockchains importantes, como BSC, Polkadot, Avalanche e NEAR

Com Stacks, eles serão capazes de lançar derivativos com base no token Stacks (STX) ao lado de ativos nativos construídos no blockchain Stacks, efetivamente criando uma “bridge” (ponte) que permite a criação de mercado e negociação para STX, bem como outros tokens baseados na Rede Bitcoin.

Esta iniciativa mostra como o futuro do DeFi é aberto, colaborativo e não poderia deixar de incluir o Bitcoin, atualmente o mais antigo, descentralizado e seguro blockchain existente.

Possibilidades

As possibilidades de produtos estruturados desenvolvidos com contratos inteligentes em DeFi são infinitas, e num futuro próximo veremos muito provavelmente a oferta de opções, futuros e estratégias de renda fixa para ajudar os investidores a personalizar o risco. 

A abrangência e o rápido de desenvolvimento do DeFi, gerando valor significativo para investidores ativos e passivos, nos indica um caminho sem vota e uma tendência é de forte crescimento das finanças descentralizadas nos próximos anos.

Com métodos cada vez mais sofisticados para proteger riscos e implementar gerenciamento avançado de portfólios, DeFi e o mercado cripto devem se tornar ainda mais eficientes e úteis também para investidores institucionais e de varejo com o tempo. 

Você experimentou DeFi na prática? Sabia que o blockchain Bitcoin também pode ser usado em DeFi? Espero que tenha gostado do artigo. Se quiser saber mais sobre DeFi, confira aqui.

Nos encontramos em breve.

Artigo

Leave a Reply