CVM ‘vai pra cima’ e proíbe mais uma empresa de forex no Brasil

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou a proibição de mais uma empresa de Forex no Brasil.

Segundo publicação da autarquia feita em 22 de maio, a Glastrox Trade ou FGMarkets está proibida de exercer a atividade no país.

Desta forma, as operações de captação de clientes da empresa são consideradas ilegais.

Ainda de acordo com a CVM a empresa não tem autorização ou dipsensa da autarquia

“A empresa citada não detém autorização desta Comissão de Valores Mobiliários para atuar como intermediário de valores mobiliários”.

Assim a CVM determinou a imediata suspensão das atividades da empresa.

Caso a empresa não cumpra as determinações da CVM a empresa deve pagar uma multa diária de R$ 1 mil.

“Aos participantes do mercado de valores mobiliários e ao público em geral que a empresa citada não está autorizada por esta Autarquia a captar clientes residentes no Brasil, por não integrar o sistema de distribuição previsto no art. 15 da Lei nº 6.385, e determina à empresa a imediata suspensão da veiculação de qualquer oferta pública de serviços de intermediação de valores mobiliários, de forma direta ou indireta, inclusive por meio da utilização de páginas na internet, aplicativos ou redes sociais, alertando que a não observância da presente determinação a sujeitará à imposição de multa cominatória diária, no valor de R$ 1.000,00 (um mil reais)”.

Forex no Brasil

Embora Forex não seja proibido no Brasil, empresas que atuam com forex, seja oferecendo cursos, investimentos ou plataformas voltadas a este mercado estão, aparentemente, na mira da autarquia que em menos de 20 dias determinou a proibição de pelo menos 5 empresas do setor.

O caso mais notório é a determinação da CVM referente as operações da IQ Option, uma empresa global que fornecia plataforma para negociação em Forex e criptomoedas contudo, sem a autorização da CVM.

Mas, além da IQ, a CVM também proibiu as empresas Pepperstone,Harrison Investimentos, Paladin FX,Start Invest, Capitalia Limited e AVA Trader, todas voltados ao Forex.

Em março a CVM aprovou a B3 a oferecer investimentos no mercado Forex. Atualmente a Bolsa é a única empresa no Brasil autorizada pela CVM e portanto legalizada para oferecer este tipo de exposição aos investidores.

Assim, com a aprovação da autarquia, a B3 permitirá transações de contratos futuros de Forex, em moedas internacionais em relação ao dólar americano, como GBPUSD, AUDUSD, NZDUSD, EURUSD, USDCAD, USDJPY, além dos pares escandinavos USDNOK e USDSEK, e também colocar posições nas procuradas Notas do Tesouro dos Estados Unidos.

Nas negociações em Forex, o investidor negocia as moedas em pares, especulando que o valor de uma delas vai subir ou cair em relação à outra. Antes da aprovação da CVM, este tipo de negociação só poderia ser realizada fora do Brasil e estava sujeito à regulamentação do país em que era contratado.

Como resultado da aprovação da CVM, qualquer investidor nacional poderá investir no mercado Forex desde que a corretor atue com a B3.

LEIA MAIS

Artigo

Leave a Comment

  • bitcoinBitcoin (BTC) $ 17,115.66
  • ethereumEthereum (ETH) $ 522.75
  • rippleXRP (XRP) $ 0.548227
  • tetherTether (USDT) $ 1.00
  • bitcoin-cashBitcoin Cash (BCH) $ 270.93
  • chainlinkChainlink (LINK) $ 12.62
  • litecoinLitecoin (LTC) $ 71.56
  • polkadotPolkadot (DOT) $ 4.96
  • cardanoCardano (ADA) $ 0.138994
  • binancecoinBinance Coin (BNB) $ 28.50