O Comitê Olímpico Chinês anunciou em 8 de abril que recebeu repetidamente reclamações sobre marketing ilegal referente aos próximos Jogos Olímpicos.

Pessoas que afirmam fazer parte da chamada “World Olympic Sports Foundation” dizem que estão usando a tecnologia blockchain para ajudar as pessoas a investir em produtos especiais e outros desenvolvimentos comerciais pertencentes às Olimpíadas. Mas esse dinheiro acaba nos bolsos de golpistas anônimos.

Eles fazem referência ao revezamento da tocha dos Jogos Olímpicos de Tóquio para induzir as pessoas a doar seu dinheiro, pensando que está indo para uma causa genuína. A equipe jurídica do Comitê Olímpico Chinês enfatizou em um anúncio que: 

“Primeiro, os proprietários do símbolo olímpico têm direitos exclusivos à propriedade intelectual olímpica. Segundo, as atividades oficiais olímpicas têm um processo e regras rígidas de aprovação, e isso não permitirá que terceiros realizem solicitações e financiamentos de patrocinadores relevantes sem a presença do próprio Comitê.”

Como o Cointelegraph relatou alguns dias atrás, a maioria das empresas de blockchain que foram fechadas no ano passado na China eram golpes de criptomoeda ou tinham modelos de negócios deficientes.

Embora as Olimpíadas de Tóquio tenham sido adiadas até 2021 devido à pandemia, a captação ilegal de fundos olímpicos disfarçada pela blockchain ainda aparece na China.

Leia mais:

Artigo

Deixe uma resposta