Blockchain ajuda organização brasileira a neutralizar emissões de gases do Efeito Estufa

A Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG) anunciou que se tornou a primeira organização do agronegócio a nível global a neutralizar suas emissões de gases de efeito estufa.

Para isso, a empresa contou com o apoio da tecnologia blockchain da Block C empresa que opera com mercados de carbono. A Block C dispõe de uma plataforma em blockchain voltada para empresas que querem compensar suas emissões.

55 toneladas de emissões evitadas

Conforme noticiou a Sociedade Nacional de Agricultura, o feito foi concluído na última sexta-feira, dia 31 de julho. Na ocasião, a ABAG realizou a primeira operação de compra e aposentadoria de Créditos de Descarbonização (CBios) na BM&F.

Desta forma, foram retirados de circulação 55 CBios. Sendo que cada CBio corresponde a uma tonelada de emissão de carbono evitada com a substituição de combustíveis fósseis por renováveis.

A escrituração da compra, que teve um preço médio de R$ 22,00, foi realizada pela empresa StoneX. Já a SGS Sustentabilidade fez a auditoria da neutralização.

O volume de CBios é baixo porque está relacionado apenas às atividades dos membros da associação, como viagens, por exemplo.

Feito inédito

Com isso, a ABAG conseguiu concluir a compensação de suas emissões e gases de efeito estufa, que contribuem para o aquecimento global. 

Além disso, o feito foi inédito para um player que não tem participação obrigatória no RenovaBio. 

O programa do Governo Federal foi lançado em 2016 para expandir a produção de biocombustíveis no Brasil.

Portanto, o programa criou o CBio como uma ferramenta para redução de emissões de Carbono.

“O CBio é patrimônio do agronegócio brasileiro. Estamos usando uma ferramenta do agro para fazer a mitigação”, disse Marcello Brito, presidente da Abag. 

Com a ação, Brito espera também incentivar outras partes não obrigadas, como suas associadas, a comprar CBios.

A ABAG tem como empresas associadas instituições como Itaú, Santander, União Nacional da Bioenergia e Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários. Além de multinacionais como Cargill e Bayer, entre outras.

Leia também: Blockchain será usada para rastrear suprimentos agrícolas da América do Sul

Leia também: Carteira da Coinbase adiciona suporte a domínios de blockchain .crypto

Leia também: Juiz chama blockchain de “poderoso” em processo no Piauí

Artigo

Leave a Comment

  • bitcoinBitcoin (BTC) $ 12,252.30
  • ethereumEthereum (ETH) $ 381.48
  • tetherTether (USDT) $ 1.00
  • rippleXRP (XRP) $ 0.247736
  • bitcoin-cashBitcoin Cash (BCH) $ 250.91
  • binancecoinBinance Coin (BNB) $ 29.63
  • chainlinkChainlink (LINK) $ 10.48
  • polkadotPolkadot (DOT) $ 4.03
  • cardanoCardano (ADA) $ 0.105207
  • litecoinLitecoin (LTC) $ 48.82