Bitcoin reforça correlação com índices tradicionais na crise

Um relatório publicado pela Binance Research descobriu que havia uma correlação positiva “moderada” entre o preço do Bitcoin e o índice de referência dos mercados de ações dos EUA, o S&P 500, no primeiro trimestre do ano.

O relatório da Binance acrescentou que a correlação razoavelmente alta entre o BTC e o S&P 500 é “muito improvável que persista a médio e longo prazo”. Contudo, não é isso que se prevê a partir de dados analisados por empresas como IntoTheblock, ou mesmo o Cryptowatch que vêm analisando a correlação entre todos esses ativos há mais de dois.

Nos últimos eventos de queda, como a disputa da Rússia contra a OPEP sobre a produção de petróleo; seguida pela queda de todos os índices por conta da pandemia do Covid-19 e colapso do mercado de ações em março, essa correlação foi reforçada.

Devido à guerra de preços iniciada pela Opep e pela Rússia, pela produção de petróleo, todos os mercados amanheceram em queda e pânico em 08 de março. As bolsas asiáticas, que abriram mais cedo, já davam os sinais do tsunami que acometeria o mercado. Na mesma onda, o Bitcoin levou todo o mercado de criptoativos consigo. A perda de volume e marketcap foi a mais sentida. O Bitcoin durante esse evento perdeu US$ 140 bilhões.

A queda do Bitcoin ainda acompanhou a queda preço do óleo cru, de forma 100% correlatada. Analisando a correlação do Bitcoin e mercados de capitais, vemos um crescente nessa correlação, conforme os investidores passaram a considerar os criptoativos boas opções de especulação. Algo que foi ganhando força nos últimos 10 anos.

Clem Chambers, CEO do site de negócios e análises para investidores o ADVFN e autor de alguns best sellers financeiros, usou gráficos de negociação intraday para mostrar que os preços do Bitcoin frequentemente seguem os mesmos padrões do índice Dow Jones.

Ele ofereceu um gráfico específico do Dow para respaldar sua tese. No gráfico mostrou-se que um aumento no índice geralmente precede um aumento nos preços do Bitcoin e vice-versa.

IMG_256

Imagem: Clem Chambers

O Índice Dow Jones compreende apenas 30 nomes, todos eles de grande representatividade na história americana. É uma lista exclusiva de ações de primeira linha – Boeing Co (NYSE: BA), Caterpillar Inc. (NYSE: CAT) e McDonald’s Corporation (NYSE: MCD) – que aparecem em quase todos os grandes portfólios do mundo.

Essa quantidade de liquidez torna a Dow extremamente sensível a mudanças na taxa de juros. O Bitcoin, por outro lado, leva algum tempo para responder porque os negócios não acontecem instantaneamente – às vezes, eles levam várias horas, senão dias.

Esse tempo de atraso no comércio de Bitcoins apresenta uma oportunidade. Traders mais atentos podem acompanhar o Dow Jones para ver se ele quebra um ponto de resistência, e então executar uma operação similar entre o BTC/USD. É nessas horas que assimetria da informação faz diferença para os traders.

No primeiro trimestre de 2020, o preço do Bitcoin caiu -10%, enquanto o S&P 500 exibiu um retorno de -19%. Sua correlação foi relativamente alta (0,57), o que é explicado por um padrão semelhante no retorno diário dos dias úteis. Enquanto isso, o ouro exibiu uma relação nula com o BTC nesses três meses.
No que tange às demais criptomoedas e o Bitcoin, a correlação é muito forte também. 

IMG_256

Imagem: Binance Research

Bitcoin e Ethereum demonstraram uma correlação recorde, com uma taxa de 0,93, enquanto criptomoedas como LINK e XTZ resistiram à tendência.

Artigo

Leave a Comment

  • bitcoinBitcoin (BTC) $ 13,469.44
  • ethereumEthereum (ETH) $ 386.32
  • tetherTether (USDT) $ 1.00
  • rippleXRP (XRP) $ 0.241652
  • bitcoin-cashBitcoin Cash (BCH) $ 268.67
  • chainlinkChainlink (LINK) $ 11.19
  • binancecoinBinance Coin (BNB) $ 29.05
  • polkadotPolkadot (DOT) $ 4.04
  • litecoinLitecoin (LTC) $ 54.62
  • bitcoin-cash-svBitcoin SV (BSV) $ 166.28