Nas últimas horas, o preço do Bitcoin (BTC) caiu para US$ 8.840. A queda ocorreu com menos de 8 horas restantes para o fechamento semanal.

Com uma confluência de mineradores que vendem mais BTC do que mineram, o Bitcoin registra 6 máximos consecutivos mais baixos, e o novo teste do suporte de US$ 8.800 deixa o BTC vulnerável a uma retração grave.

Seis altas mais baixas consecutivas desde junho de 2019

Como mostra o gráfico diário, desde 19 de junho o Bitcoin registrou seis máximos consecutivos mais baixos. O preço foi rejeitado em US$ 14.000, US$ 13.300, US$ 12.300, US$ 10.600, US$ 10.500 e US$ 10.000, tornando cada alta mais baixa que a anterior.

Na análise técnica, os máximos mais baixos indicam que os compradores não estão conseguindo estabelecer um novo ciclo de alta. Toda vez que um pico mais baixo é atingido, isso mostra que a pressão de venda no mercado é forte demais para sair dele.

O Bitcoin registra seis máximos mais baixos consecutivos desde junho de 2019.: Tradingview

Uma clara rejeição da faixa de US$ 9.800 a US$ 9.900 e o terceiro teste projetado do nível de suporte de US$ 8.800 sugerem que o Bitcoin ainda não está pronto para iniciar um rali acima de US$ 10.000.

Teste triplo de US$ 8.800

O preço do Bitcoin se recuperou em US$ 8.840, testando a área de suporte de US$ 8.800 pela segunda vez em quatro dias. Normalmente, o ativo digital tende a quebrar abaixo de um nível alto de suporte no terceiro ou quarto toque. Isso significa que o BTC provavelmente verá uma violação limpa de US$ 8.800 no fechamento semanal.

Quase imediatamente depois de cair perto de US$ 8.800, o preço do Bitcoin se recuperou para cerca de US$ 8.900, mostrando que o BTC está definido para um aumento de preço de curto prazo após a abertura semanal de 25 de maio.

Porém, os dados do TradingLite compartilhados pelo trader de criptomoeda Hsaka mostram uma quantidade significativa de pedidos de venda na exchange OKEx, na faixa de US$ 9.300 a US$ 9.400.

OKEx mostra grandes pedidos de venda a US$ 9.300. Fonte: Hsaka

Com base na resposta firme dos compradores no nível de suporte de US$ 8.800 e na pressão de venda de US$ 9.300, é provável que o BTC permaneça entre US$ 8.800 a US$ 9.300 antes de ver o próximo recuo.

Se o preço do Bitcoin se recuperar no curto prazo para a região de US$ 9.000 e revisitar US$ 8.800, existe a probabilidade de o BTC ter uma correção muito maior para o intervalo de US$ 6.000 a US$ 7.000.

Mineradores de Bitcoin estão aplicando pressão de venda

Os mineradores de Bitcoin continuam vendendo mais BTC do que mineram. Essa tendência é compreensível, uma vez que o custo de equilíbrio da mineração de BTC está acima de US$ 12.000 após o halving de 11 de maio.

O preço do Bitcoin não chega nem perto de US$ 12.000 e isso significa que as mineradoras terão que vender uma parte de seu suprimento existente para cobrir os custos operacionais.

Como o investidor de criptomoeda Willy Woo explicou, existem dois vendedores incomparáveis no mercado de Bitcoin: mineradores e exchanges. Woo disse:

Existem apenas duas pressões de venda incomparáveis no mercado. (1) Mineradores que diluem a oferta e vendem no mercado, esse é o imposto oculto via inflação monetária. E (2) as exchanges que tributam os traders e vendem no mercado.

Mineradores de Bitcoin rolando inventário acima de 103%. Fonte: ByteTree

Como mostra o gráfico acima, o inventário contínuo dos mineradores (MRI) está acima de 103%, o que significa que os mineradores estão gastando mais BTC do que o habitual. Isso significa que a pressão de venda proveniente dos mineradores continuará sendo uma ameaça à recuperação do BTC no curto prazo.

Leia mais:

ACOMPANHE OS MELHORES MERCADOS DE CRIPTO EM TEMPO REAL aqui

Artigo

Deixe uma resposta