Binance volta para a China como plataforma que ensina sobre blockchain

Uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo, a Binance, retornou à China, apesar da proibição total do comércio de ativos digitais no país.

No entanto, como o mais novo site chinês da empresa mostrou, a Binance não entrará no mercado como uma exchange, mas como uma plataforma educacional.

Desta forma, a empresa já conseguiu aprovação do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China para o domínio – binance.cn.

Uma empresa de Xangai chamada Shanghai Bi Nai Shi Information Technology LLC foi a que apresentou o registro.

Retorno à China

Além disso, para retornar a China, a Binance teria registrado outras duas empresas em seu nome. Todas estas novas empresas foram registradas nos últimos três meses e todas têm nomes que, quando pronunciados em chinês, parecem muito semelhantes à Binance.

site chinês da Binance entrou no ar no início desta semana, mas ainda não apresenta nenhum conteúdo relacionado a negociações.

O site chinês da Binance entrou no ar no início desta semana, mas ainda não apresenta nenhum conteúdo relacionado a negociações

A página inicial do site diz que a Binance China é “a principal provedora de sistemas de blockchain do mundo”, mas ainda não menciona seus objetivos.

No entanto, com as poucas informações disponíveis foi possível identificar que empresa se concentrará principalmente em fornecer cursos de blockchain para usuários e companhias na China.

Blockchain não Bitcoin

Além do esforço educacional, a empresa também começará a oferecer outros serviços ao crescente mercado de blockchain no país.

Os serviços incluem desenvolvimento de tecnologia blockchain, serviços de pesquisa e consultoria, incubação de startups de blockchain, serviço de busca de talentos, instituições de caridade blockchain e a Binance Chain.

Desta forma, tudo isso está alinhado com o novo foco da empresa em educação.

No início de março, a Binance Academy, subsidiária educacional sem fins lucrativos da exchange, anunciou que havia estabelecido um instituto de pesquisa destinado a pesquisar e desenvolver a tecnologia blockchain na China.

Assim, o foco no desenvolvimento e na educação também está alinhado com o plano geral da China para “blockchainizar” seu setor de tecnologia.

Por isso, o país tem investido enormes recursos no estabelecimento de comitês de blockchain, redes de blockchain e várias outras entidades independentes e lideradas pelo governo focadas na tecnologia.

Em resposta a Dovey Wan, o sócio fundador da Primitive Ventures, que compartilhou as notícias em sua conta no Twitter, o CEO da Binance confirmou que a exchange estava, de fato, voltando à China. Entretanto, desempenhando um papel de instituição de educação voltada à blockchain.

“Um passo de cada vez. Vamos nos concentrar primeiro em educação e tecnologia ”, disse Changpeng Zhao.

Leia também: Binance esclarece polêmica sobre suposta interferência no Coinmarketcap

Leia também: Após ser comprada pela Binance, CoinMarketCap remove evidências de negociação de lavagem da exchange 

Leia também: Binance alerta para phishing em anúncio

Artigo

Leave a Comment

  • bitcoinBitcoin (BTC) $ 17,137.06
  • ethereumEthereum (ETH) $ 517.58
  • rippleXRP (XRP) $ 0.560568
  • tetherTether (USDT) $ 1.00
  • chainlinkChainlink (LINK) $ 12.65
  • bitcoin-cashBitcoin Cash (BCH) $ 267.57
  • cardanoCardano (ADA) $ 0.153704
  • litecoinLitecoin (LTC) $ 70.34
  • stellarStellar (XLM) $ 0.209644
  • polkadotPolkadot (DOT) $ 4.81