Especialistas brasileiros do mercado de criptomoedas também estão na expectativa para o halving do Bitcoin, que deve ocorrer em maio de 2020 com o corte da recompensa dos mineradores de Bitcoin pela metade, o que deve consequentemente diminuir o a produção do suprimento da moeda.

Como o Cointelegraph Brasil noticiou na última segunda-feira, 3 de fevereiro, Alexandre Vasarhelyi, da gestora BLP Asset, disse em que é difícil prever onde o halving vai chegar, brincando que todas as previsões feitas ao mesmo tempo estão certas e erradas.

Ele declarou em entrevista que o halving também é uma boa oportunidade do público médio compreender o Bitcoin e como os preços devem subir a partir de uma perspectiva de mais adoção e menor suprimento:

“A narrativa do halving no passado foi muito importante, e acreditamos que desta vez vai ser a mesma coisa. É uma oportunidade de contar a história dos criptoativos, porquê o grande desafio do Bitcoin é ser compreendido, ele é muito complexo, então entender o halving como um corte na oferta é muito simples de entender.”

Em outra entrevista ao Cointelegraph Brasil, o diretor da exchange Mercado Bitcoin, Fabricio Tota. disse que a alta deve ocorrer, mas não de forma tão aguda quanto nos dois eventos passados:

“A gente teve dois halvings até hoje que foram seguidos por uma corrida de preços. Mas o mercado era completamente outro, imagina que no primeiro, há oito anos, depois no segundo há quatro anos, o mercado ainda era muito menor do que é hoje. Então eu acredito que sim, vai ter uma alta de preços, mas de uma forma não tão significativa quanto a dos dois últimos.”

Já o country manager da Ripio, Ricardo da Ros, também disse que a diminuição do suprimento da maior criptomoeda e como isso reflete no mercado:

“Eu vejo uma pressão cada vez maior de pessoas interessadas, aprendendo sobre Bitcoin e entrando no mercado e querendo comprar, e a oferta do Bitcoin sempre reduzindo e ficando mais difícil de encontrar. Então, essa pressão é positiva para o preço no longo prazo, mas o que vai acontecer no caminho ninguém sabe.”

O halving do Bitcoin vai diminuir o ritmo de produção do Bitcoin, além de cortar a recompensa dos mineradores. No primeiro halving, em novembro de 2012, a produção passou de 50 BTCs a cada 10 minutos para 25 BTCs. O segundo halving cortou a produção pela metade, em setembro de 2016. A partir do halving de 2020, a produção da mineração passará para 6,25 BTCs a cada 10 minutos.

 

Deixe uma resposta